Buscar

Carregando...

segunda-feira, 16 de junho de 2014

Mutirão contra a dengue é promovido pelo CCZ

O Centro de Controle de Zoonoses de Caxias (CCZ) realizou, na manhã desta sexta - feira (13), mais um Mutirão de limpeza contra a dengue.

A ação aconteceu nos bairros Castelo Branco, Mutirão, Residencial José Castro e Piquizeiro, onde foram visitados pelos Agentes de Combate às Endemias (ACE) cerca de 3.220 imóveis, com recolhimento de recipientes que possam servir de criadouro do  mosquito transmissor da dengue, o Aedes aegypti. Além disso, houve distribuição de panfletos aos moradores com informações sobre a doença.


Fonte: NMES/CCZ

segunda-feira, 26 de maio de 2014

ACEs realizam mutirão de sensibilização contra a dengue


Mosquito da Dengue - Fotos 4Os Agentes de Combate às Endemias - ACE do Centro de Controle de Zoonoses - CCZ realizaram, na última sexta-feira (23), mais um Mutirão de Sensibilização contra a dengue. 

A mobilização aconteceu nos bairros Fazendinha, Vila São João e Antenor Viana. Essas localidades apresentaram  aumento na densidade do vetor da Dengue, conforme dados do último Levantamento de Índice de Infestação Predial do Aedes aegypti (LIRAa) no município que foi de 3,3%, realizado no período de 24 a 28 de março deste ano.

Os agentes de endemias distribuíram panfletos aos moradores e reforçaram sobre a importância da colaboração da população, quanto às medidas a serem tomadas para prevenção da dengue.


Fonte: NMES/CCZ

sexta-feira, 11 de abril de 2014

CCZ realiza LIRAa com média de IIP de 3,3%


O Centro de Controle de Zoonoses de Caxias (CCZ), realizou entre os dias 24 e 26 de março de 2014, o Levantamento Rápido do Índice de Infestação do Aedes aegypti (LIRAa). O Índice de Infestação Predial (IIP) do município de Caxias foi de 3,3%, o que representa médio risco para surto. Foram visitados 2.304 imóveis e encontradas 76 amostras positivas para o vetor transmissor da dengue.

Com base no LIRAa, as localidades que tiveram maior infestação predial foram Residencial José Castro (17,8%), Vila São João (12,5%), Antenor Viana (10%), Fazendinha (10%), Mutirão (10%) e Castelo Branco (6,5%).

Em primeiro lugar, vale lembrar que a melhor forma de prevenção é cuidar do ambiente para evitar focos de água parada onde ocorre a proliferação do mosquito. É aí que a fêmea, que pode estar infectada, bota seus ovos. Por isso, é fundamental medidas preventivas para deixar a casa segura para você e sua família.


Classificação do LIRAa, segundo o Ministério da Saúde: 

0% < IIP < 0,9% - Baixo Risco

1% < IIP < 3,9% - Médio Risco 

4% < IIP < 7,9% - Alto Risco

Fonte:NMES/CCZ



sexta-feira, 4 de abril de 2014

Município de Caxias participa de projeto para o controle da Leishmaniose Visceral no país





A UERJ (Universidade Estadual do Rio de Janeiro), juntamente com a Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz) e o Ministério da Saúde, diante das adversidades encontradas na redução do índice da Leishmaniose Visceral (LV) no Brasil, implementaram um novo projeto que visa avaliar a efetividade do uso de coleiras impregnadas com deltametrina em cães.
O projeto está em fase experimental e apenas alguns municípios do país foram contemplados. Caxias é a única cidade do estado do Maranhão a participar.
Dois pesquisadores, um técnico do Ministério da Saúde e um da Fiocruz, foram enviados a Caxias, e estiveram nesta manhã de quinta-feira (03) no CCZ, para a apresentação do projeto aos agentes de combate às endemias e representantes dos demais setores da saúde.
Foram repassadas informações sobre ações de vigilância, controle e a não eficácia de tratamento da LV, que serviram de embasamento para o desenvolvimento da inovação do método de prevenção da doença, através do uso da coleira impregnada com inseticida. Além disso, informaram aos agentes a forma como o projeto será executado.
De acordo com Fabiano Borges Figueiredo (sub-coordenador do projeto e pesquisador da Fiocruz), a coleira com deltametrina a 4% libera, contínua e diretamente, no animal uma proteção prolongada por até seis meses. Ao ser liberada a deltametrina atua sobre os insetos, primeiramente por contato e depois por ingestão determinando sua morte quase que imediata, causando impacto na redução de novas infecções caninas. Serão enviadas pelo Ministério da Saúde 1.500 coleiras para a avaliação. Os trabalhos têm previsão para iniciar no mês de maio.
Constatada a eficácia do projeto, a metodologia será implementada em todo o país.
Caxias foi escolhida para participar dos estudos, devido à efetiva atuação dos órgãos competentes, em especial do Centro de Controle de Zoonoses no combate às Leishmanioses.








Fonte: NMES/CCZ

terça-feira, 25 de março de 2014

Casos de dengue no país caem 80% no primeiro bimestre

Aedes aegypt, dengue, mosquito
O Aedes aegypti, mosquito transmissor da dengueAgência Brasil/Arquivo
Os casos de dengue registrados no Brasil nos dois primeiros meses deste ano caíram 80% em relação ao mesmo período do ano passado. Ao todo, foram notificados 87 mil casos entre janeiro e fevereiro de 2014, contra 427 mil nos dois primeiros meses de 2013.

Os dados fazem parte do Levantamento de Índice Rápido de Infestação por Aedes aegypti (Liraa), divulgado hoje (18) pelo Ministério da Saúde. Este ano, 1.459 municípios participaram do levantamento – 48% a mais do que na edição de 2013.

De acordo com o ministério, a queda também foi observada em relação às ocorrências graves da doença (84%) e em relação às mortes (95%).

Todas as regiões do país reduziram o número de casos de dengue no primeiro bimestre de 2014. A Região Sudeste obteve a maior redução, passando de 323,5 mil casos em 2013 para 36,9 mil. Em segundo lugar, está o Centro-Oeste, que passou de 122,8 mil para 28,2 mil. O Nordeste registrou queda de 29,6 mil para 7,9 mil; o  Norte passou de 22,3 mil para 6,9 mil e o Sul, de 20,3 mil para 6,9 mil casos.

Apesar da redução, o ministro da Saúde, Arthur Chioro, ressaltou que é preciso que a população permaneça alerta. “[Os resultados] não nos permitem comemoração”, disse, “Estamos no meio da temporada, apenas finalizando o verão”, completou. Noventa por cento dos casos de dengue registrados no país todos os anos entre janeiro e maio.

Info Dengue
Infográfico Dengue 2014Pedro Ivo de Oliveira

Fonte:http://agenciabrasil.ebc.com.br

sábado, 1 de março de 2014

2º Mutirão de limpeza contra dengue é promovido pelo CCZ

O Centro de Controle de Zoonoses - CCZ realizou nesta última sexta-feira (28), o 2º Mutirão de limpeza contra dengue deste ano. 

A mobilização teve início às 7h30min, nos bairros Antenor Viana, Castelo Branco, Nova Caxias e Vila São José. Essas localidades apresentaram  aumento na densidade do vetor da Dengue, conforme aponta o último Levantamento de Índice de Infestação Predial do Aedes aegypti (LIRAa) no município que foi de 4,3%, realizado no período de 06 a 10 de janeiro.

Os agentes de endemias visitaram residências e distribuíram panfletos aos moradores com informações sobre os sintomas e prevenção da dengue.


Fonte: NMES/CCZ

sexta-feira, 7 de fevereiro de 2014

CCZ realiza mutirão de limpeza contra a dengue

Com o objetivo de reduzir os focos de dengue e sensibilizar a população sobre os cuidados para prevenir a doença no município, o Centro de Controle de Zoonoses de Caxias (CCZ) realizou na manhã desta sexta – feira (07), o 1º Mutirão de Limpeza contra a dengue do ano.

O 1º Levantamento Rápido do Índice de Infestação do Aedes aegypti  (LIRAa) realizado neste ano no município apontou índice de 4,3% , e  aconteceu entre os dias 06 e 10 de janeiro, onde foram  visitados 2.393 imóveis e encontradas 104 amostras positivas para o vetor transmissor da dengue.

Foram visitados pelos Agentes de Endemias os bairros que apresentaram os maiores Índices de Infestação Predial (IIP): Maria do Rosário (33,3%), Salobro (15,0%), Fazendinha (10,8%), Tamarineiro (10,3%) e Caldeirões (9,1%).


Fonte: NMES/CCZ